Alex Ribeiro Campeao QS

Alex Ribeiro (Foto: Ian Thurtell – WSL)

Pela terceira vez esse ano, uma etapa do WSL Qualifying Series e encerrada com uma final brasileira e agora foi Alex Ribeiro quem festejou o titulo no QS 3000 da Africa do Sul. A decisao do Volkswagen SA Open of Surfing no domingo em Durban foi contra Hizunome Bettero e ainda teve mais um brasileiro, Victor Bernardo, dividindo o terceiro lugar com o peruano Miguel Tudela nas semifinais. Outro paulista, Deivid Silva, e o catarinense Tomas Hermes, perderam nas quartas de final e ficaram em quinto lugar na verdadeira invasao brasileira na Africa do Sul.

“Estou muito feliz, e um sentimento muito bom. Eu nem consegui dormir direito essa noite, so ficava pensando no campeonato e eu estava muito instigado pra competir”, contou Alex Ribeiro, que comandou a festa brasileira num dos principais palcos do surfe na Africa do Sul, que sempre sediava as etapas do CT antes de Jeffreys Bay. “Eu estou amarradao em vencer aqui e em fazer a final com meu amigo, Hizunome Bettero, que e um grande surfista tambem”.

A decisao com Hizunome Bettero na Africa do Sul foi a terceira 100% brasileira em etapas do WSL Qualifying Series esse ano. A primeira aconteceu no QS 6000 de Newcastle, na Australia, onde o catarinense Yago Dora derrotou o lider do ranking, Jesse Mendes. A segunda foi no QS 1500 Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata, que abriu a corrida pelo titulo sul-americano da WSL South America com vitoria paulista de Thiago Camarao sobre o capixaba Krystian Kymerson. E ainda teve uma final sul-americana numa etapa do QS 3000 em Portugal, com o uruguaio Marco Giorgi vencendo o proprio Thiago Camarao em Santa Cruz.

Com o titulo no QS 3000 Volkswagen SA Open of Surfing, Alex Ribeiro deu um grande passo para recuperar a vaga na elite dos top-34 da World Surf League perdida no ano passado. Com os 3.000 pontos no ranking, entrou na lista dos dez que se classificam pelo QS, subindo do 12.o para o quinto lugar no ranking, logo abaixo de Yago Dora, que nao competiu na Africa do Sul, como o lider Jesse Mendes. Ja o vice-campeao Hizunome Bettero somou 2.250 pontos e saltou de 82 para 26 na classificacao geral das 29 etapas completadas no domingo em Durban.

“Foi um otimo resultado na minha primeira competicao aqui na Africa do Sul”, disse Hizunome Bettero. “Agora eu vou ter um tempo para visitar alguns lugares turisticos aqui e tambem surfar algumas boas ondas ate o evento de Ballito, que sera muito importante, o primeiro QS 10000 do ano. Parabens ao Alex (Ribeiro) e obrigado a todos os organizadores do evento”.

Hizunome ja venceu uma etapa esse ano, o QS 1500 Jack?s Surfboard Pro no maior palco do esporte nos Estados Unidos, Huntington Beach, na California. Mas, na grande final do QS 3000 da Africa do Sul, Alex Ribeiro pegou as melhores ondas que entraram na bateria para ganhar notas 8,67 e 7,00 e faturar o premio maximo de 12.000 dolares por 15,67 a 11,57 pontos. Hizunome ja tinha garantido metade disso quando derrotou Miguel Tudela por uma pequena vantagem de 14,80 a 13,60 pontos nas semifinais. O peruano chegou perto de fazer outra final nessa temporada, pois ficou em quarto lugar na do QS 1000 de Sunset Beach, no Havai.

“Fico feliz pelo Hizunome (Bettero), que e realmente um bom surfista, mas estou triste tambem porque perdi”, disse Miguel Tudela, que acabou eliminado na ultima onda surfada pelo brasileiro nos minutos finais. “Foi uma boa bateria. Eu estava liderando e achei que, talvez, ele nao conseguisse a nota que precisava naquela onda que eu deixei passar. Mesmo assim, esse e o meu melhor resultado esse ano e agora estou me sentindo mais confiante para o segundo semestre”.

A outra semifinal foi bem mais eletrizante, com os dois brasileiros destruindo as ondas de Durban com grandes apresentacoes. O placar de 17,37 a 16,23 da vitoria de Alex Ribeiro sobre o tambem paulista Victor Bernardo comprova o alto nivel da bateria. Com os 1.680 pontos do terceiro lugar no Volkswagen SA Open of Surfing, Vitinho subiu da 48.a para 17.a colocacao no QS e Miguel Tudela foi da 58.a para a 32.a. O peruano barrou o catarinense Tomas Hermes nas quartas de final, que saltou de 143 para 71 no ranking com os 1.260 pontos do quinto lugar.

G- 10 PARA O CT – O paulista Deivid Silva foi batido no duelo seguinte por Hizunome Bettero e tambem ficou em quinto lugar no QS 3000 da Africa do Sul, subindo da quinquagesima para a 34.a posicao. Apenas dois surfistas entraram no G-10 do WSL Qualifying Series nesta 29.a etapa em Durban, o campeao Alex Ribeiro e outro brasileiro, Flavio Nakagima. Ele passou a ocupar a ultima vaga na lista dos indicados para o World Surf League Championship Tour, quando avancou para a rodada classificatoria para as quartas de final. E permaneceu no G-10, mesmo apos perder nesta fase para Alex Ribeiro e o australiano Soli Bailey.

O cearense Michael Rodrigues, o paulista Victor Mendes e o catarinense Mateus Herdy, que na sexta-feira conquistou o titulo da categoria Pro Junior em Durban, tambem passaram pela fase dos 32 finalistas que abriu o domingo decisivo do QS 3000 da Africa do Sul. O mais jovem deles, Mateus, ficou em ultimo na segunda batalha por vagas nas quartas de final, vencida por Victor Bernardo. Na terceira, Victor Mendes foi barrado por Hizunome Bettero e Tomas Hermes. E Michael Rodrigues caiu na ultima, que classificou Deivid Silva e Miguel Tudela.

TEMPESTADE BRASILEIRA – O termo “Brazilian Storm” ja havia sido usado no titulo da noticia oficial do evento na quinta-feira, quando doze brasileiros passaram para a rodada de estreia dos 32 cabecas de chave mais bem colocados no ranking mundial. E nessa lista, o Brasil ja tinha maioria, com mais quatorze surfistas entrando na fase mais avancada da competicao. Eram tantos, que duas baterias ficaram 100% verde-amarelas e outras duas tinham tres tambem disputando apenas duas vagas. Essa quarta e ultima fase de dezesseis baterias aconteceu no sabado, treze delas com brasileiros, que conquistaram 14 das 32 vagas para o domingo.

Na primeira bateria brasileira nas ondas de Durban, o vencedor foi o jovem catarinense Mateus Herdy, derrotando Alex Ribeiro na estreia do campeao do QS 3000 Volkswagen SA Open of Surfing. Ele teve que ganhar a briga pela segunda vaga do tambem paulista Weslley Dantas e do capixaba Krystian Kymerson. Na outra, os cabecas de chave confirmaram o favoritismo sobre os dois que vieram da terceira fase, com o cearense Michael Rodrigues e o catarinense Alejo Muniz superando o paulista Marcos Correa e o capixaba Rafael Teixeira.

A batalha pelas 32 vagas para o domingo terminou nas duas baterias com participacao tripla do Brasil. Na penultima do dia, o sul-africano Beyrick De Vries derrotou os tres, com Wesley Leite passando em segundo e o tambem paulista Thiago Camarao e o carioca Lucas Silveira sendo eliminados. Ja na disputa pelas duas ultimas vagas, deu dobradinha verde-amarela do baiano Marco Fernandez e o paulista Deivid Silva sobre o outro brasileiro, Yage Araujo, e o sul-africano Joshe Faulkner.

PARTICIPACAO PERUANA – Alem dos brasileiros, os peruanos tambem tiveram boas atuacoes no QS 3000 da Africa do Sul. Miguel Tudela passou para o ultimo dia no confronto vencido pelo catarinense Tomas Hermes, contra o paulista Samuel Pupo e o frances Jorgan Couzinet, numero 3 no ranking do WSL Qualifying Series. Os dois voltaram a se enfrentar nas quartas de final e o peruano derrotou o brasileiro. Ja Cristobal de Col passou duas baterias eliminando os chilenos Manuel Selman e Maximiliano Cross, mas perdeu no sabado junto com o atual vice-lider do QS, Hiroto Ohhara, para outro japones, Hiroto Arai, e o frances Diego Mignot.

PROXIMAS ETAPAS – A “perna sul-africana” do WSL Qualifying Series continua nesta semana, com uma etapa do QS 1000 promovida pelo top do CT, Jordy Smith, em Cape Town, que no ano passado foi vencida pelo peruano Joaquin del Castillo. No entanto, a mais importante acontece na proxima semana, de 3 a 9 de julho, o primeiro QS 10000 do ano, Ballito Pro, em KwaZulu-Natal. Esse evento pode provocar grandes mudancas no ranking e sao apenas cinco etapas com status maximo de 10.000 pontos nesse ano.

Tambem no mes de julho, serao realizadas duas provas seguidas da WSL South America valendo pontos para o QS e para o ranking que define o campeao sul-americano da temporada. A primeira marca a volta de San Bartolo e do Peru ao Circuito Mundial depois de tres anos com duas etapas do QS 1000 nos dias 13 a 15 de julho, o Rip Curl Pro para os homens e o Jeep Pro para as mulheres. E na semana seguinte, de 17 a 23, tem o ja tradicional Maui and Sons Arica Pro Tour no Chile, que dobrou o seu status esse ano de QS 1500 para QS 3000, aumentando a importancia do desafio nas grandes ondas de El Gringo.

Aloha!

Por: Joao Carvalho – WSL South America Media Manager – [email protected]

Share on Facebook

Noticias Relacionadas

Tags