Primeiro surfista profissional do Estado de São Paulo, Francisco Alfredo Alegre Araña, o Cisco Araña, não se restringiu em guardar seu nome na história do surfe apenas por esse feito.

Surfista desde 1968, Cisco criou a primeira escola pública de surfe do Brasil entre 1991 e 1992.


Além de dar aulas para crianças carentes, Cisco mantém, juntamente com Irapaji Caetano, o Paji, o Projeto Omelca, no qual dá aulas de surfe para crianças com necessidades educacionais especiais. Crianças com síndrome de down, altistas, paralisia cerebral ou dificuldades de comportamento.


Também há aulas para terceira idade, como o caso de Fusae Nishida Uramoto, e para deficientes visuais, como Valdemir, o Val, primeiro surfista cego do Brasil e, possivelmente, do mundo. Para o Val, Cisco fez dez adaptações na prancha de surfe e construiu a primeira prancha de surfe adaptada para cegos do mundo.


Cisco me emocionou quando eu o perguntei: O que é o surf na sua vida?


“Acho que é onde eu me expresso melhor como ser – humano. Eu posso dizer que sou uma pessoa que estou no mundo para fazer o bem para as pessoas através daquilo que eu amo”


Saiba mais da história de Cisco Araña e do surfe no documentário que logo será exibido aqui. Ele já está finalizado, mas estamos reduzindo a qualidade para postar no You Tube, já que o vídeo tem 15 minutos.


Quem quiser solicitar o DVD do documentário pode pedir pelo nosso e-mail: surfinsantos@gmail.com

Custa apenas R$ 10,00


Foto: http://ciscosurfschool.com.br/

Notícias Relacionadas:



Share on Facebook
 
Comentários
Zanzini disse:

Ele merece!!!! Aprendi e estou aprendendo muito com ele no meu dia-a-dia.

Feliz ano novo à equipe do Surfinsantos!!!

Aloha!!!