Rip Curl Guarujaense de Surf 2015 - Luiz Diniz campeao

Rip Curl Guarujaense de Surf 2015 – Luiz Diniz campeão. Foto: Silvia Winik

Demonstrando versatilidade, fôlego e qualidade nas manobras, Luiz Diniz foi o destaque na abertura do Rip Curl Guarujaense de Surf 2015, neste domingo (23), na Praia de Pernambuco, em Guarujá. O surfista de 23 anos faturou a categoria open e foi o terceiro no SUP (stand up paddle), em duas finais seguidas, sem tempo para descanso (só trocou de pranchas). Além dos dois pódios, garantiu a maior somatória do evento, com 17 pontos de 20 possíveis na fase inicial do surf com remos.

Quem também fez bonito na competição foi Theo Fresia, que é de Búzios/RJ e há um ano mora em Guarujá, vencendo a júnior (até 18 anos), com uma grande atuação. Ainda na lista dos vencedores da etapa inicial, Alax Soares, jovem atleta que vem despontando demonstrou estar no caminho certo, com o primeiro lugar na mirim (limite de 16 anos). Na iniciante (no máximo 14 anos), Eduardo Motta confirmou o favoritismo.

Na estreante (sub12), Gustavo Giovanardi, de Praia Grande, foi o melhor. Na outra ponta, na master (35 anos em diante), vitória de Binho Hanada, que já entrou no mar feliz depois de ver seu filho, Luan, ser o segundo na iniciante. Na longboard (pranchões), Wenderson Biludo, de São Sebastião, saiu na frente no Circuito, enquanto que no SUP Wave, o experiente Eric Miyakawa levou no desempate com Wallace Morris.

Para completar, na feminina, a catarinense Marina Rezende garantiu a sua primeira vitória em águas guarujaenses. “Começamos o Circuito muito bem, com grandes disputas, excelente nível técnico. Finais empolgantes, sol, ondas”, comemorou Fernando Gonzalez, do marketing da Rip Curl.

Único a disputar duas finais, Luiz Diniz mostrou um surf forte. Primeiro no SUP, onde já tinha dado um show nas fases anteriores. Ele surfou bem, mas não alcançou Wallace Morris e depois Eric Miyakawa. Ao terminar a disputa, saiu rapidamente do mar, trocou a prancha e teve de mudar o estilo para dominar a decisão da open. Abriu com um 7,5 e depois foi só administrando, deixando Nathan Brandi em segundo e logo atrás Ricardo Silva, destaque no primeiro dia e com a experiência de ter sido supercampeão duas vezes.

 “A preparação física com o cross fit ajudou bastante”, vibrou Luiz, que espera brigar pelos dois títulos no Rip Curl Guarujaense, mas já tem definido seu objetivo maior. “Aqui, vou tentar os dois. O SUP ajuda o surf e vice-versa. Estou com foco de ingressar no Circuito Mundial de SUP Wave e falta só um patrocínio para ir adiante”, comentou o surfista, apelidado pelos amigos de Fred Patacchia, por sua extrema semelhante com o surfista havaiano do WCT.

No SUP Wave, Eric terminou com a mesma pontuação de Wallace, mas levou a melhor por ter a maior nota da bateria, um sete. O surfista de 40 anos, que por muitos anos disputou o WQS e também o Mundial de SUP, agora prefere ficar mais no Brasil. “Vou tentar o título brasileiro em Ubatuba e quero ser campeão no Guarujaense”, ressaltou.

Entre os juniores, Theo Fresia, logo em sua segunda onda, garantiu um 9,5, com uma direita, com duas manobras fortes, que fez a diferença no resultado. Foi a melhor nota do evento, igualando-se a de Giovani Pontes, na fase inicial da iniciante. Leonardo Guimarães ainda tirou um sete, mas não foi suficiente para ameaçar o primeiro lugar. “Vencer em casa, porque agora Guarujá é minha casa, é muito bom. Há uma semana venci em Saquarema e agora mais esse. Duas vitórias seguidas mostra que estou bem”, comemorou o surfista de 16 anos.

Na master, Binho Hanada abriu com um 7,25 e não perdeu mais, para garantir sua primeira vitória no campeonato, superando três surfistas bem experientes, Will Amaro, Rogerio Guirra e Eduardo Febem. “Eu já estava feliz de ver o Luan em segundo na iniciante. E agora vencer para dar exemplo ao meu filho, isso é o que vale”, afirmou o atleta de 41 anos.

Na disputa dos pranchões, Wenderson Biludo dominou toda a final e ainda confirmou com 8,10. Jonas Lima, de Itanhaém, com 7,5, ficou em segundo, à frente do experiente Amaro Matos. Já na mirim, Alax fez uma bateria impecável, com uma nota 7,5 e depois uma 8,15. Giovanni Pontes, que já tinha garantindo um 9,5, brigou até o final, também tirou uma nota 7,5, mas a segunda foi 6,5.

Entre as meninas, Júlia Santos fez valer a maior vivência em campeonatos, para iniciar na ponta, com um 6,75, mas não conseguiu uma segunda nota boa. Marina Rezende, então, teve uma recuperação na sexta e sétima ondas, com notas seis e 3,9, virando nos segundos finais da bateria. “Venho direto para Guarujá, porque tenho família aqui, e se der tudo certo, devo morar na Praia do Tombo, o melhor lugar do Brasil”, revelou a surfista de Florianópolis, que está com 20 anos e atualmente disputa a categoria pró-junior. “Fui quinta colocada na etapa da Argentina”, contou.

Na iniciante, Eduardo Motta, com 7,5 e 6,75, foi superior a Luan Hanada, que chegou perto com 12,5. Na estreante, Gustavo Giovanardi dominou a decisão, deixando em segundo o santista Yuri Beltrão e em terceiro Derek Matos, filho de Amaro.

No total, o Rip Curl Guarujaense de Surf terá três etapas. A próxima será nos dias 26 e 27 de setembro, na Praia do Tombo, com a grande final nos dias 10 e 11 de outubro, na Praia de Pitangueiras (Canto do Maluf). Neste último evento, os campeões municipais competem numa mesma bateria, para definir o Supercampeão, valendo a passagem e a hospedagem para Bali, que são intransferíveis. O título especial foi criado em 2002, como forma de deixar o Circuito ainda mais disputado e já se tornou tradição.

Além do show de surf nas ondas, o evento contou com a apresentação da banda de rock Os Mandriões, no sábado à tarde. Houve, também, a distribuição de mudas nativas ao público. Outra ação importante foi a doação de 120 quilos de alimentos arrecadados junto às inscrições para a Associação dos Moradores do bairro da Maré Mansa.

O Rip Curl Guarujaense de Surf tem patrocínio da Rip Curl, copatrocínios da Prefeitura Municipal de Guarujá e Secretaria Municipal do Esporte e Lazer. Apoios: Shaper Neco Carbone, New Advance, Helio Coconuts Hot Wave, Seeds of Sea Surfboards, Academia Flex, Skygraf do Brasil, Náutica Tintas Fiberglass, Malhas Sticle, Aquarela do Brasil Tinturaria. Supervisão da Federação Paulista de Surf. Cobertura da Hardcore. Divulgação da FMA Notícias. Realização da Associação de Surf do Guarujá.

RESULTADOS DA 1ª ETAPA

CATEGORIA OPEN

1 Luiz Diniz – Guarujá

2 Nathan Brandi – Guarujá

3 Ricardo Silva – Guarujá

4 Dárcio Dias – Guarujá

CATEGORIA SUP WAVE

1 Erick Miyakawa – Guarujá

2 Wallace Morris – Guarujá

3 Luiz Diniz – Guarujá

4 Adriano Lima – Guarujá

CATEGORIA JÚNIOR

1 Theo Frésia – Guarujá

2 Leonardo Guimarães – Guarujá

3 Matheus Mariano – Guarujá

4 Vinicius Dias – Guarujá

CATEGORIA LONGBOARD

1 Wenderson Biludo – São Sebastião

2 Jonas Lima – Itanhaém

3 Amaro Matos – Guarujá

4 Adriano Melo – Guarujá

CATEGORIA MASTER

1 Binho Hanada – Guarujá

2 Will Amaro – Guarujá

3 Rogerio Guirra – Guarujá

4 Eduardo Febem – Guarujá

CATEGORIA MIRIM

1 Alax Soares – Guarujá

2 Giovani Pontes – Guarujá

3 Ihgor Sant’Ana – Guarujá

4 Matheus Araújo – Guarujá

CATEGORIA FEMININA

1 Marina Rezende – SC

2 Julia Santos – São Vicente

3 Louisie Frumento – Guarujá

4 Bruna Jettner – Guarujá

CATEGORIA INICIANTE

1 Eduardo Motta – Guarujá

2 Luan Hanada – Guarujá

3 Vinicius Parra – Santos

4 Caio Augusto – Guarujá

CATEGORIA ESTREANTE

1 Gustavo Giovanardi – Praia Grande

2 Yuri Beltrão – Santos

3 Derek Matos – Guarujá

4 Renan Nascimento – Guarujá

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags