Gabriel Medina Vans World Cup 2015

Gabriel Medina (Foto: Kirstin Scholtz – WSL)

Um novo swell atingiu a ilha de Oahu na quarta-feira e a Vans World Cup of Surfing retornou depois de dois dias parada, para completar a rodada de estreia dos cabeças de chave do QS 10000 de Sunset Beach. Foi mais um dia de mar difícil com ondas grandes e cinco brasileiros se classificaram para as oitavas de final, com uma “dobradinha paulista” do campeão mundial Gabriel Medina com Deivid Silva fechando a quarta-feira no Havaí. Antes, o potiguar Italo Ferreira e os paulistas Jessé Mendes e Caio Ibelli, que está na briga pela primeira posição no ranking final do WSL Qualifying Series, já haviam garantido o Brasil entre os 32 melhores surfistas do segundo desafio da Vans Triple Crown of Surfing.

Em Sunset Beach, está sendo definida a lista dos dez indicados pelo ranking do QS para completar a elite dos top-34 da World Surf League de 2016. Dois dos três australianos que defendiam vagas no G-10 foram eliminados pelas ondas surfadas nos últimos minutos do confronto encerrado na segunda dobradinha brasileira da Vans World Cup. A do Deivid Silva valeu nota 7,43 e ele pulou do quarto para o primeiro lugar com 15,70 pontos, porque já tinha 8,27 da sua outra única onda surfada até ali. A do Medina, completada com um floater de desafiar a gravidade, arrancou 8,77 dos juízes para totalizar 15,34 e também ultrapassar Ryan Callinan, que liderava a bateria, com Connor O´Leary ficando em último.

“Felizmente eu consegui essa última onda”, disse Gabriel Medina, que segue na briga pela ponta da Tríplice Coroa Havaiana, pois na primeira etapa ficou em sétimo lugar. “Eu sabia que precisava de uma nota 6, 6 e pouco, mas não dava para ouvir nada lá dentro. Eu consegui fazer duas curvas na onda, era o que dava pra fazer, depois o floater. Foi um floater difícil, parecia um aéreo quando eu estava aterrissando da manobra. Fiquei feliz por ter conseguido a pontuação que precisava pra me classificar”.

Antes de Ryan Callinan e Connor O´Leary, o outro australiano com vaga ameaçada no G-10 já havia perdido em sua estreia na Vans World Cup, Davey Cathels, para o havaiano Makuakai Rothman e o australiano Julian Wilson. A quarta-feira começou com 22 surfistas tendo chances matemáticas de tirar as classificações deles para a elite do CT 2016. Mas, apenas nove, como os brasileiros Jessé Mendes e Deivid Silva, conseguiram passar para as oitavas de final e seguirem na busca, porque a porta de entrada na zona de classificação agora está aberta com a saída dos três australianos.

VAGAS NO G-10 – Um deles é o próprio Deivid Silva, que está liderando o prêmio de “Triple Crown Rookie of the Year” (Estreante do Ano na Tríplice Coroa). No entanto, ele precisa ficar entre os três primeiros na grande final da Vans World Cup para ultrapassar o último do G-10, Connor O´Leary. Outro paulista do Guarujá, Jessé Mendes, também venceu sua bateria na quarta-feira e tem que chegar na decisão do título em Sunset Beach para entrar no CT, mas só se for vice-campeão no mínimo.

Essa é a mesma condição para o neozelandês Ricardo Christie, que venceu o confronto que o potiguar Italo Ferreira passou em segundo lugar e uma das novidades da “seleção brasileira” de 2016, Alex Ribeiro, ficou em último. O português Vasco Ribeiro, campeão mundial Pro Junior do ano passado, também tem chances, mas só interessa a vitória na Vans World Cup. Ele venceu um confronto difícil, batendo o campeão mundial Joel Parkinson, que avançou em segundo tirando Miguel Pupo do campeonato.

Os que estão mais próximos de ingressar no G-10, já se passarem suas próximas baterias em Sunset Beach nesta quinta-feira, são o norte-americano Conner Coffin e o havaiano Dusty Payne. Coffin vai disputar a primeira do dia, contra o português Frederico Morais que está invicto na World Cup of Surfing e dois tops da elite, o havaiano John John Florence e o potiguar Italo Ferreira. Dusty Payne está na quinta oitava de final, com o também havaiano Ian Walsh, o americano C. J. Hobgood e o australiano Yadin Nicol.

NÚMERO 1 DO QS – Os australianos Stu Kennedy e Soli Bailey completam a lista dos concorrentes as três últimas vagas no G-10, com ambos precisando chegar nas semifinais para superar os 19.300 pontos de Connor O´Leary no ranking. Bailey ainda teria que ficar em terceiro lugar no mínimo na bateria, ou quinto no campeonato, para conseguir isso. E os dois vão competir juntos com o também australiano Josh Kerr e o brasileiro Caio Ibelli, que está na briga direta pelo posto de número 1 no ranking final do WSL Qualifying Series.

Ele dividia a liderança com o australiano Jack Freestone, mas o norte-americano Kolohe Andino passou a frente deles quando se classificou para as oitavas de final na bateria que abriu a quarta-feira em Sunset Beach. Isto porque seu descarte é menor e trocou resultado com os 2.100 pontos que já garantiu na Vans World Cup. No entanto, a disputa do título é fase a fase, posição a posição, com o número 1 podendo até ser decidido numa final entre eles.

Jack Freestone (AUS)

Jack Freestone no tubo nota 10 (Foto: Masurel – WSL)

TUBO NOTA 10 – Caio Ibelli estreou bem, derrotando dois havaianos, Dusty Payne e Jamie O´Brien, além do francês Jeremy Flores. Mas quem brilhou no início do dia foi Jack Freestone, que arrancou a primeira nota 10 da Vans World Cup num tubo incrível na quarta-feira. O australiano dropou uma direita da série já se posicionando para o tubo, que rodou, ele sumiu na espessa cortina d´agua de Sunset Beach e reapareceu limpo na saída para ainda fazer mais uma manobra na melhor onda surfada em toda a Tríplice Coroa Havaiana esse ano.

Com a nota máxima, Freestone totalizou 17,67 pontos que só foram batidos por Michel Bourez no penúltimo confronto do dia. O taitiano conseguiu 9,60 pelas três grandes manobras que fez numa onda muito difícil em Sunset Beach e já tinha começado a bateria com nota 9,0 para registrar um novo recorde de 18,60 pontos. O australiano Matt Wilkinson passou em segundo lugar e os dois tops da elite acabaram com o sonho do baiano Bino Lopes entrar no CT, também barrando o peruano Miguel Tudela.

Outra dupla eliminação sul-americana aconteceu na sétima bateria, com o potiguar Jadson André e o uruguaio Marco Giorgi sendo derrotados pelo australiano Adrian Buchan e o francês Marc Lacomare. Além de Jadson, mais três integrantes da “seleção brasileira” perderam em suas estreias na quarta-feira, Adriano de Souza, Wiggolly Dantas e Miguel Pupo. O campeão mundial Gabriel Medina e Italo Ferreira seguem na briga do título no QS 10000 de Sunset Beach, assim como Caio Ibelli, Jessé Mendes e Deivid Silva.

OITAVAS DE FINAL – Italo Ferreira vai abrir as oitavas de final com o havaiano John John Florence, o americano Conner Coffin e o português Frederico Morais. Jessé Mendes terá uma parada dura na terceira bateria com o tricampeão mundial Mick Fanning, o nota 10 Jack Freestone e o francês Marc Lacomare. Caio Ibelli está na sexta com três australianos, Josh Kerr, Stu Kennedy e Soli Bailey. Medina entra na seguinte com o australiano Matt Wilkinson, o português Vasco Ribeiro e o havaiano Makuakai Rothman. E Deivid Silva disputa as duas últimas vagas para as quartas de final com três tops do CT, Joel Parkinson, Julian Wilson e o recordista Michel Bourez.

A Vans World Cup of Surfing está sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e o fuso do Havaí é de 8 horas a menos do que o de Brasília. A expectativa é de que a última etapa do WSL Qualifying Series termine nessa quinta-feira, com a primeira chamada para as oitavas de final marcada para as 7 horas em Sunset Beach, 15 horas nos estados do Brasil com horário de verão.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A missão da World Surf League é simples: inspirar uma mudança positiva para o surf e nossos fãs. A WSL, nova sigla da antiga ASP (Association of Surfing Professionals), vem realizando os principais campeonatos de surf desde 1976, decidindo os campeões mundiais de cada temporada no Samsung Galaxy WSL Championship Tour, do Big Wave Tour, Longboard e Pro Junior, além das etapas do Qualifying Series, as regionais do Pro Junior e Longboard e outros eventos, como o Big Wave Awards. A WSL também vem resgatando a rica história do esporte, promovendo baterias entre estrelas do passado, unindo progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis de todos os tempos. A WSL quer os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo.

Para acompanhar o melhor surf do mundo, é só acessar o www.worldsurfleague.com como milhares de fãs do mundo inteiro, para assistir ao vivo as maiores estrelas do esporte como Kelly Slater, Mick Fanning, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Makua Rothman, Grant “Twiggy” baker, Greg Long, Stephanie Gilmore, John John Florence, Carissa Moore e tantos outros no campo de batalha mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes.

OITAVAS DE FINAL DA VANS WORLD CUP OF SURFING:

———–3.o=17.o lugar com 2300 pts e US$ 2.750 / 4.o=25.o lugar com 2.100 pts e US$ 2.250:

1.a: John John Florence (HAV), Italo Ferreira (BRA), Conner Coffin (EUA), Frederico Morais (PRT)

2.a: Jordy Smith (AFR), Kolohe Andino (EUA), Ricardo Christie (NZL), Jack Robinson (AUS)

3.a: Mick Fanning (AUS), Jack Freestone (AUS), Jessé Mendes (BRA), Marc Lacomare (FRA)

4.a: Nat Young (EUA), Adrian Buchan (AUS), Dane Reynolds (EUA), Torrey Meister (HAV)

5.a: C. J. Hobgood (EUA), Dusty Payne (HAV), Yadin Nicol (AUS), Ian Walsh (HAV)

6.a: Josh Kerr (AUS), Caio Ibelli (BRA), Stu Kennedy (AUS), Soli Bailey (AUS)

7.a: Gabriel Medina (BRA), Matt Wilkinson (AUS), Vasco Ribeiro (PRT), Makuakai Rothman (HAV)

8.a: Joel Parkinson (AUS), Julian Wilson (AUS), Michel Bourez (TAH), Deivid Silva (BRA)

TERCEIRA FASE – entrada dos 32 principais cabeças de chave – 1.o e 2.o=Oitavas de Final:

———–3.o=33.o lugar com 1100 pts e US$ 1.400 / 4.o=49.o lugar com 1.000 pts e US$ 1.100:

————bateria que fechou o domingo:

1.a: 1-Frederico Morais (PRT), 2-Jordy Smith (AFR), 3-Seth Moniz (HAV), 4-Kanoa Igarashi (EUA)

————resultados da quarta-feira:

2.a: 1-John John Florence (HAV), 2-Kolohe Andino (EUA), 3-Benji Brand (HAV), 4-Hiroto Ohhara (JPN)

3.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Conner Coffin (EUA), 3-Wiggolly Dantas (BRA), 4-Sebastian Zietz (HAV)

4.a: 1-Ricardo Christie (NZL), 2-Italo Ferreira (BRA), 3-Kekoa Cazimero (HAV), 4-Alex Ribeiro (BRA)

5.a: 1-Jack Freestone (AUS), 2-Nat Young (EUA), 3-Mason Ho (HAV), 4-Aritz Aranburu (ESP)

6.a: 1-Jessé Mendes (BRA), 2-Torrey Meister (HAV), 3-Bede Durbidge (AUS), 4-Adam Melling (AUS)

7.a: 1-Adrian Buchan (AUS), 2-Marc Lacomare (FRA), 3-Jadson André (BRA), 4-Marco Giorgi (URY)

8.a: 1-Dane Reynolds (EUA), 2-Mick Fanning (AUS), 3-Joan Duru (FRA), 4-Noe Mar McGonagle (CRI)

9.a: 1-Ian Walsh (HAV), 2-Stu Kennedy (AUS), 3-Adriano de Souza (BRA), 4-Carlos Munoz (CRI)

10: 1-Yadin Nicol (AUS), 2-Soli Bailey (AUS), 3-Kai Otton (AUS), 4-Keanu Asing (HAV)

11: 1-Caio Ibelli (BRA), 2-Dusty Payne (HAV), 3-Jeremy Flores (FRA), 4-Jamie O´Brien (HAV)

12: 1-Josh Kerr (AUS), 2-C. J. Hobgood (EUA), 3-Pedro Henrique (PRT), 4-Patrick Gudauskas (EUA)

13: 1-Makuakai Rothman (HAV), 2-Julian Wilson (AUS), 3-Davey Cathels (AUS), 4-Joel Centeio (HAV)

14: 1-Vasco Ribeiro (PRT), 2-Joel Parkinson (AUS), 3-Miguel Pupo (BRA), 4-Brent Dorrington (AUS)

15: 1-Michel Bourez (TAH), 2-Matt Wilkinson (AUS), 3-Miguel Tudela (PER), 4-Bino Lopes (BRA)

16: 1-Deivid Silva (BRA), 2-Gabriel Medina (BRA), 3-Ryan Callinan (AUS), 4-Connor O´Leary (AUS)

Por: João Carvalho – WSL South America Media Manager

Aloha!

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags