WCT Bells Beach 2015 - Gabriel medina

Gabriel Medina estreando no Rip Curl Pro Bells Beach (Foto: Kelly Cestari / WSL)

O campeão mundial Gabriel Medina conquistou a única vitória brasileira nas apenas sete baterias realizadas no primeiro dia do Rip Curl Pro Bells Beach na Austrália. O segundo desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2015 foi paralisado porque as condições do mar pioraram durante a quarta-feira em Bells Beach. Com isso, a estreia de Filipe Toledo com a lycra amarela de número 1 do ranking mundial foi adiada para a quinta-feira, com a primeira chamada para a oitava bateria marcada para as 8h00 na Austrália, 18h00 da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília. Filipe vai competir junto com Jadson André no penúltimo confronto da primeira fase classificatória do campeonato mais antigo do Circuito Mundial.

“Hoje (quarta-feira) não estava Bells típico e nós estávamos surfando em Rincon (outra sessão da praia), que é uma onda mais difícil para surfar, então estou amarradão por ter vencido a bateria”, disse Gabriel Medina, que tenta recuperar o mau resultado da sua estreia como campeão mundial, ficando apenas em 17.o lugar na Gold Coast. “Eu estou com boas pranchas para este tipo de onda, estou me sentindo bem, mas sei que é realmente difícil ganhar este evento, especialmente contra todos os regular-footers (que surfam as direitas de frontsite, de frente para a onda, ao contrário de Medina que é goofy-footer). Eu só posso tentar fazer o meu melhor e espero conseguir um bom resultado aqui”.

A vitória de Medina veio depois de três derrotas brasileiras nas primeiras baterias do dia. Todos ficaram em segundo lugar e terão que passar pelos duelos eliminatórios da segunda fase. Melhor estreante da elite mundial na etapa que abriu a temporada 2015 na Gold Coast, o paulista Wiggolly Dantas, foi batido junto com o australiano Taj Burrow pelo francês Jeremy Flores no confronto que abriu o Rip Curl Pro 2015. Campeão em Bells Beach em 2013, Adriano de Souza chegou mais perto da classificação direta para a terceira fase na segunda bateria, mas também perdeu para o norte-americano Brett Simpson por um placar mais apertado de 15,00 a 14,33 pontos.

Na disputa seguinte, Kelly Slater registrou imbatíveis 16,67 pontos com notas 8,50 e 8,17 na melhor apresentação do dia para ganhar com facilidades do havaiano Sebastian Zietz e do neozelandês Ricardo Christie. O havaiano John John Florence também não teve muito trabalho para superar por 15,33 pontos o outro estreante do Brasil na elite mundial do WCT, o potiguar Italo Ferreira, além do norte-americano C. J. Hobgood. Italo foi uma das surpresas da primeira etapa ao eliminar Kelly Slater na terceira fase do Quiksilver Pro Gold Coast e terá outra chance de classificação na segunda fase.

SURPRESA DO DIA – O australiano Mick Fanning foi o terceiro campeão mundial a se apresentar, mas o defensor do título do Rip Curl Pro Bells Beach acabou sendo batido na bateria mais disputada da quarta-feira, com os três competidores ficando na casa dos 13 pontos. O havaiano Mason Ho é o convidado desta etapa e levou a melhor por 3 centésimos de diferença ao totalizar 13,13 pontos, contra 13,10 de Mick Fanning e exatos 13 pontos do também havaiano Fredrick Patacchia. Foi o resultado mais surpreendente do dia e Fanning agora vai enfrentar o vencedor da triagem, Joe Van Dijk, na abertura da segunda fase.

O jovem australiano de apenas 16 anos de idade, irmão da top do WCT, Nikki Van Dijk, encarou o campeão mundial Gabriel Medina e o estreante da elite, Matt Banting, mas não conseguiu acompanhar o ritmo deles e só surfou ondas fracas. As condições do mar já estavam um pouco mais difíceis, com poucas séries boas entrando na bateria, mas Medina fez o suficiente para vencer com duas notas medianas, na casa dos 6 pontos. Ele totalizou 12,76 pontos nas duas melhores ondas, contra 11,83 de Matt Banting e 8,23 de Joe Van Dijk. Por enquanto, Medina é o único brasileiro que já está garantido na terceira e última rodada de doze baterias do Rip Curl Pro Bells Beach.

PARALISAÇÃO E ADIAMENTO – Defendendo a terceira posição no ranking, Adriano de Souza, além dos estreantes Wiggolly Dantas e Italo Ferreira, perderam em suas estreias na quarta-feira e terão que passar pela segunda fase, enquanto os outros três integrantes da seleção brasileira no WCT ainda vão fazer as suas primeiras apresentações na gelada região sul da Austrália. A competição foi paralisada após a sétima bateria e uma nova chamada para a oitava foi marcada para as 13h30, ainda foi feita outra tentativa para as 14h30, mas o mar não melhorou e a continuação da primeira fase acabou adiada para a quinta-feira.

LIDER DO RANKING – Quando retornar, o próximo brasileiro a competir será Miguel Pupo, que divide o terceiro lugar no ranking com Adriano “Mineirinho” de Souza. Ele vai competir no segundo confronto do próximo dia de competição em Bells Beach, com o australiano Joel Parkinson e o irlandês Glenn Hall. Filipe Toledo entra duas baterias depois de lycra amarela para fazer a sua primeira defesa da liderança do ranking contra o também brasileiro Jadson André e o australiano Owen Wright, no penúltimo confronto da rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo em Bells Beach.

A expectativa é se os brasileiros vão repetir as ótimas atuações da etapa que abriu o Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, com Filipe Toledo ganhando o Quiksilver Pro Gold Coast com a única nota 10 do campeonato, Adriano de Souza e Miguel Pupo dividindo o terceiro lugar nas semifinais e com os estreantes Wiggolly Dantas e Italo Ferreira ficando em quinto e em nono, respectivamente. Assim como Snapper Rocks, Bells Beach é um pico de direitas, mas com ondas mais lentas e volumosas, além do mar e do clima mais gelado do que na Gold Coast.  O bom é que podem abrir paredes mais longas para os melhores do mundo apresentarem seu arsenal de manobras no palco mais tradicional do esporte na Austrália.

O Rip Curl Pro Bells Beach está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pela Fox Sports para a Austrália, com coberturas especiais também pelo MCS Extreme na França, EDGE Sports na China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios, com a TV Globo sendo a nova parceira da World Surf League no Brasil.

WCT Bells Beach 2015 – Round 1

1.a: 1-Jeremy Flores (FRA)=15.33, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=11.73, 3-Taj Burrow (AUS)=10.63

2.a: 1-Brett Simpson (EUA)=15.00, 2-Adriano de Souza (BRA)=14.33, 3-Kai Otton (AUS)=6.00

3.a: 1-Kelly Slater (EUA)=16.67, 2-Sebastian Zietz (HAV)=9.06, 3-Ricardo Christie (NZL)=7.73

4.a: 1-John John Florence (HAV)=15.33, 2-Italo Ferreira (BRA)=11.47, 3-C. J. Hobgood (EUA)=10.17

5.a: 1-Mason Ho (HAV)=13.13, 2-Mick Fanning (AUS)=13.10, 3-Freddy Patacchia Jr. (HAV)=13.00

6.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=12.76, 2-Matt Banting (AUS)=11.83, 3-Joe Van Dijk (AUS)=8.23

7.a: 1-Jordy Smith (AFR)=14.33, 2-Keanu Asing (HAV)=13.44, 3-Adrian Buchan (AUS)=12.20

Baterias adiadas para a quinta-feira:

8.a: Michel Bourez (TAH), Nat Young (EUA), Dusty Payne (HAV)

9.a: Joel Parkinson (AUS), Miguel Pupo (BRA), Glenn Hall (IRL)

10: Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS), Adam Melling (AUS)

11: Filipe Toledo (BRA), Owen Wright (AUS), Jadson André (BRA)

12: Julian Wilson (AUS), Kolohe Andino (EUA), Matt Wilkinson (AUS)

WCT Feminino Bells Beach 2015

1.a: Malia Manuel (HAV), Bianca Buitendag (AFR), Laura Enever (AUS)

2.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Silvana Lima (BRA), Nikki Van Dijk (AUS)

3.a: Carissa Moore (HAV), Dimity Stoyle (AUS), wildcard Rip Curl

4.a: Stephanie Gilmore (AUS), Tatiana Weston-Webb (HAV), Alessa Quizon (HAV)

5.a: Tyler Wright (AUS), Johanne Defay (FRA), Sage Erickson (EUA)

6.a: Lakey Peterson (EUA), Courtney Conlogue (EUA), Coco Ho (HAV)

Aloha!

Por: João Carvalho – Assessoria de Imprensa da WSL South America – jcarvalho@worldsurfleague.com

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags