Adriano de Souza no ano passado no Postinho

Adriano de Souza no ano passado no Postinho (Foto: Daniel Smorigo / WSL)

O WCT Rio Pro 2015 é a nova etapa brasileira da World Surf League, que já começa a ser preparada para receber os melhores surfistas do mundo nos dias 11 a 22 de maio no Rio de Janeiro. O palco principal continua sendo no início da Barra da Tijuca, em frente às ondas do Postinho, próximo da barraca do Pepê, mas uma estrutura alternativa será instalada também no Meio da Barra (Posto 6), para ser utilizada se o mar estiver em melhores condições. O WCT Rio Pro 2015 estreia quando a capital do Rio de Janeiro completa 25 anos sediando uma das etapas válidas pelo título mundial de surfe, com a marca histórica sendo atingida em plena comemoração dos 450 anos de fundação da Cidade Maravilhosa.

O momento é especial também dentro d´água, com a participação de Gabriel Medina como primeiro brasileiro a conquistar o título mundial no circuito iniciado em 1976. E os brasileiros começaram bem a temporada 2015 do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, com duas vitórias na “perna australiana”. Adriano de Souza ganhou a última delas nas ondas poderosas de Margaret River e vai defender a liderança do ranking no WCT Rio Pro 2015. Filipe Toledo venceu a primeira na Gold Coast e está em terceiro, com o australiano Mick Fanning entre eles. Os também paulistas Miguel Pupo e Wiggolly Dantas e os potiguares Jadson André e Italo Ferreira, completam a “seleção brasileira” entre os top-34 que disputam o título mundial e a cearense Silvana Lima é a única representante nas top-17.

“Temos em nossas diretrizes o apoio ao esporte como uma ferramenta de inclusão social e um dos elementos de aproximação junto aos nossos públicos. O patrocínio ao Oi Rio Pro, que tem como atual campeão mundial Gabriel Medina, embaixador do Oi Galera, é motivo de orgulho para a empresa”, disse Bruno Cremona, Gerente de Patrocínios e Eventos da Oi. A ligação da Oi com o surfe começou em outubro de 2014, quando a empresa anunciou Gabriel Medina como atleta Oi e embaixador do Oi Galera: “O Gabriel Medina se identifica totalmente com o público-alvo da Oi e do Oi Galera. Para a Oi, o surfe e o esporte são instrumentos de transformação social, o que demonstram seu comprometimento com o futuro dos jovens, agregando valor a sua marca”.

Para torcer para os brasileiros e assistir as grandes estrelas do esporte competindo nas ondas cariocas, como os campeões mundiais Kelly Slater, Mick Fanning, Joel Parkinson e C. J. Hobgood, e ainda John John Florence, Julian Wilson, Josh Kerr, Nat Young, entre outros, é só escolher o melhor lugar nas areias do Postinho ou do Posto 6 no Meio da Barra sem pagar nada, ou acompanhar a transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com. Entre os patrocinadores e apoiadores da etapa brasileira da World Surf League estão a Oi, Samsung e Corona, Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Lei de Incentivo ao Esporte, além de Jeep, Go Pro, Coppertone e Guaraná Antarctica.

“Seja na Barra da Tijuca, no Arpoador, na Prainha ou em São Conrado, o surfe está na alma do carioca”, disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.“Receber a elite mundial do surfe em mais uma etapa do World Championship Tour, é uma honra para a cidade e para os cariocas amantes do esporte. A realização do Circuito Mundial de Surfe reforça a vocação do Rio em sediar grandes eventos esportivos. E não há nada que combine mais com o carioca do que uma competição que lota as nossas areias, tendo como cenário não apenas tubos e aéreos desses monstros do esporte, mas as belezas naturais da Cidade Maravilhosa que emolduram suas impressionantes manobras. E a etapa carioca ganha um sabor especial este ano, sendo promovido no país do primeiro brasileiro campeão mundial, Gabriel Medina”.

O prazo do WCT Rio Pro 2015 começa em 11 de maio e vai até o dia 22, mas ele pode ser completado em apenas seis dias. Este período alongado é para que a competição aconteça nas melhores ondas possíveis. A comissão técnica se reúne sempre nas primeiras horas de cada manhã para analisar as condições do mar e decidir se haverá competição e qual categoria abrirá o dia, se a masculina ou a feminina, além de onde será disputada. No caso do Rio de Janeiro esse ano, ou no palco principal no Postinho da Barra da Tijuca, ou na estrutura alternativa no Meio da Barra. O primeiro dia é imperdível, pois todos competem na rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo no WCT Rio Pro 2015.

“Vivemos um dos melhores momentos da história do surfe brasileiro e é um orgulho para a Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, apoiar essa etapa do mundial de surfe”, disse Marco Antônio Cabral, Secretário de Esporte, Lazer e Juventude do Governo do Estado do Rio de Janeiro. “O esporte gera inclusão social e transmite valores para nossas crianças e jovens. Estamos muito empolgados em levar cada vez mais competições e aproximar o público de grandes atletas. Sucesso a todos os surfistas e boas ondas”.

HISTÓRIA E TRADIÇÃO – A etapa carioca é uma das mais tradicionais e importantes do Circuito Mundial. Foi na Barra da Tijuca que o maior ídolo do esporte em todos os tempos, Kelly Slater, confirmou o primeiro dos seus onze títulos mundiais em 1992. O australiano Mark Occhilupo em 1999 e o havaiano Sunny Garcia em 2000, também garantiram os seus únicos troféus de melhor surfista do mundo no Brasil, antes das etapas finais no Havaí. Mais recentemente, já no pico do Postinho, o australiano Joel Parkinson deu a arrancada para conquistar o título mundial de 2012, com o vice-campeonato na final vencida pelo havaiano John John Florence.

A história do Rio de Janeiro no cenário internacional do esporte de surfar ondas, começou junto com o Circuito Mundial em 1976, primeiramente organizado pela IPS (International Professional Surfers) nas saudosas etapas da Praia do Arpoador, conhecida como o berço do surfe na Cidade Maravilhosa. E dois cariocas legítimos foram os campeões das primeiras etapas disputadas no Brasil, Pepê Lopes e Daniel Friedman em 1977. O evento logo ganhou fama mundo afora e os estrangeiros levaram as outras quatro edições da extinta IPS no Arpoador, os australianos Cheyne Horan (1978 e 1981) e Terry Richardson (1982), e o norte-americano Joey Buran (1980). Em 1979, ela não foi realizada por falta de patrocínio.

MAIS VITÓRIAS BRASILEIRAS – Em 1983, o Circuito Mundial passou a ser organizado pela Association of Surfing Professionals (ASP), que em 2015 mudou de nome para World Surf League (WSL). O Brasil só voltou a sediar uma das etapas válidas pelo título mundial da ASP em 1986, mas em Florianópolis (SC). O Rio de Janeiro retornou ao calendário em 1988 já na Barra da Tijuca, próximo ao condomínio Barramares, onde ficou por 14 anos consecutivos, até 2001.

Os australianos dominaram o alto do pódio neste período com oito vitórias, três delas conquistadas por Dave Macaulay em 1988, 1989 e 1993. Dois brasileiros também comemoraram títulos no Meio da Barra, Flavio “Teco” Padaratz em 1991 e Peterson Rosa em 1998. No ano seguinte, foi a vez da carioca Andrea Lopes se tornar a primeira brasileira a ganhar uma etapa do WCT. A capital carioca perdeu a etapa brasileira em 2002, quando foi realizada pela única vez na Praia de Itaúna, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Em 2003, ela mudou para Santa Catarina e só retornou 10 anos depois para a Barra da Tijuca, com Adriano de Souza conquistando o título para delírio de uma enorme torcida que lotou a praia em 2011 e gritava “Mineiro, Mineiro, Mineiro”, mais parecendo um estádio de futebol. Foi a última vitória brasileira na capital carioca e Mineirinho chegou perto de repetir o feito em 2013. Ele passou por Gabriel Medina na semifinal, mas perdeu a decisão para o sul-africano Jordy Smith. Os estrangeiros dominaram o alto do pódio nas ondas do Postinho, com o havaiano John John Florence vencendo em 2012 e Michel Bourez em 2014, taitiano que vai defender o título este ano no Oi Pro Rio.

FEMININO NO OI RIO PRO – O WCT Rio Pro 2015 será a quarta etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour masculino e feminino, com as melhores surfistas do mundo também se apresentando no Rio de Janeiro no mesmo período de 11 a 22 de maio. Se no masculino, o Brasil tem sete representantes – Gabriel Medina, Filipe Toledo, Adriano de Souza, Miguel Pupo, Wiggolly Dantas, Jadson André e Italo Ferreira – na elite dos top-34 que disputam o título mundial, entre as meninas é só a cearense Silvana Lima no seleto grupo das top-17. Nas 12 etapas femininas realizadas no Rio de Janeiro entre 1977 e 2014, a única vitória brasileira foi mesmo a da Andréa Lopes em 1999. Oito foram vencidas pelas australianas, com Pauline Menczer sendo a recordista com o tricampeonato em 1994, 1997 e 1998.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, onde você pode acompanhar todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e a qualquer hora onde acontecer. As sanções da WSL são para os seguintes circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Pro Junior e Longboard. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York. A WSL também tem sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos na África, Ásia, Austrália, Europa, Havaí, América do Norte e América do Sul.

WCT Rio Pro 2015 é apresentado pela Corona com patrocínio da Oi, Samsung, Riotur, Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Lei de Incentivo ao Esporte, além da Jeep, Go Pro, Coppertone e Guaraná Antarctica. A etapa brasileira do WCT será transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Aloha!

Termos pesquisados:

  • rio pro 2015
Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags