Gabriel Medina

Gabriel Medina nas quartas de final do WCT Teahupoo 2015 (Foto: Kelly Cestari – WSL)

O campeão mundial Gabriel Medina segue firme na busca do bicampeonato no WCT Teahupoo e já está nas quartas de final da etapa do Taiti do World Surf League Championship Tour 2015.

Gabriel Medina venceu a bateria brasileira do Round 4 do WCT Teahupoo 2015 com um tubo que arrancou nota 10 de três dos cinco juízes para superar Bruno Santos por 17,64 a 17,10 pontos. Italo Ferreira ficou em último e vai enfrentar Filipe Toledo no Round 5 do WCT Teahupoo 2015. Wiggolly Dantas encara o francês Jeremy Flores também no Round 5.

Depois de uma semana de espera, as ondas voltaram a bombar em Teahupoo na segunda-feira, mas a competição só reiniciou na terceira chamada do dia, as 12h00, com séries de 4-6 pés proporcionando bons momentos, como o tubaço nota 10 unânime de C. J. Hobgood contra Julian Wilson, que manteve Adriano de Souza na ponta do Ranking Mundial de Surf 2015.

Os dois australianos que tiveram a chance de tirar a lycra amarela de número 1 do ranking do brasileiro na final cancelada do J-Bay Open na África do Sul, fracassaram na segunda tentativa que ganharam com a derrota de Mineirinho para Bruno Santos também na terceira fase do Billabong Pro Tahiti. O vice-líder Mick Fanning foi batido quase sem pegar ondas pelo basco Aritz Aranburu na mesma segunda-feira da semana passada de condições também irregulares em Teahupoo. Julian Wilson ficou uma semana esperando e igualmente não achou nada contra C. J. Hobgood, que pegou um tubo incrível para merecer a primeira nota 10 unânime dos cinco juízes esse ano. Com ela, garantiu a vitória por 13,60 a 9,50 pontos sobre Julian Wilson e a primeira posição de Adriano de Souza no Jeep Leaderboard da World Surf League.

Os únicos que ainda podem conquistar a lycra amarela de número 1 do ranking na terça-feira decisiva do Billabong Pro Tahiti são Filipe Toledo e Owen Wright. Os dois se enfrentaram na abertura da quarta fase e o australiano ganhou a primeira vaga para as quartas de final, mas Filipe tem outra chance de classificação no duelo brasileiro com Italo Ferreira. Se vencer, terá um novo confronto direto com Owen Wright nos tubos de Teahupoo, mas já brigando pela ponta do Jeep Leaderboard, pois Filipe supera a pontuação de Mineirinho se passar para as semifinais. O australiano tem que chegar na grande final para isso e Gabriel Medina pode entrar no caminho por também estar na chave de cima que aponta o primeiro finalista.

Medina conseguiu um bom posicionamento no mar na bateria brasileira em plena bancada de Teahupoo e estava no lugar certo na hora certa para surfar um dos maiores tubos do dia, sumindo na cortina d´água para reaparecer limpo na saída e arrancar três notas 10 dos juízes. Dois deles acharam que não foi tão perfeito quanto o do norte-americano C. J. Hobgood e a média ficou 9,97. O wildcard Bruno Santos também pegou bons tubos e chegou perto da virada no último que surfou na bateria, mas a nota saiu 8,10 e chegou a 17,10 pontos, contra os 17,64 do defensor do título do Billabong Pro Tahiti. Italo Ferreira sofreu uma queda numa das suas primeiras ondas e não conseguiu entrar na briga pela vitória.

“Eu sabia que ia ser uma bateria difícil, especialmente contra o Bruno (Santos), que surfa muito bem aqui”, disse Gabriel Medina. “Depois daquele 9,97 fiquei mais tranquilo, mas depois o Bruno quase me pegou no final da bateria com aquele tubo que ele surfou. Estou muito feliz pela vitória que já me garantiu nas quartas de final e bem confiante para a próxima rodada. Significaria muito para mim vencer aqui novamente, porque eu amo essa onda. É muito bom estar lá fora pegando um monte de ondas e seria muito especial vencer de novo”.

Depois do duelo de tubos entre Medina e Bruno Santos, o mar deu uma parada e Wiggolly Dantas só conseguiu achar um no confronto seguinte, ficando em último na bateria vencida pelo australiano Josh Kerr por apenas 13,20 pontos, contra 11,43 do basco Aritz Aranburu e 6,40 do brasileiro. Wiggolly agora vai enfrentar o amigo Jeremy Flores na disputa pela última vaga para as quartas de final na quinta fase. O francês fez o maior placar da segunda-feira na vitória por 18,84 pontos sobre o campeão mundial Joel Parkinson nas baterias restantes da terceira fase. Depois foi batido pelo tubo nota 9,77 que Kelly Slater achou na onda que fechou a sua participação no último confronto do dia em Teahupoo.

“Ninguém queria pegar as primeiras ondas que vieram lá fora, pois estavam irregulares e cheias de espuma”, disse Kelly Slater, que ocupa a sexta posição no ranking e busca sua primeira vitória na temporada. “Eu estava em dúvida se ia ou não naquela onda do 9,77 e acabei indo. A primeira bolha de espuma me balançou e diminuiu minha velocidade,  a segunda diminuiu mais ainda, mas consegui vencê-la para sair do tubo. Estou amarradão por ter passado direto para as quartas de final e acho que amanhã (terça-feira) teremos ondas ainda melhores para fechar o evento”.

O Billabong Pro Tahiti termina nesta terça-feira e a primeira chamada para a disputa pelas últimas vagas para as quartas de final foi marcada para as 7h30 no Taiti, 14h30 pelo fuso horário de Brasília, ao vivo pelowww.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, onde você pode acompanhar todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e a qualquer hora onde acontecer. As sanções da WSL são para os seguintes circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Pro Junior e Longboard. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York. A WSL também tem sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos na África, Ásia, Austrália, Europa, Havaí, América do Norte e América do Sul.

QUARTAS DE FINAL DO BILLABONG PRO TAHITI – 5.o lugar com US$ 15.000 e 5.200 pontos:

1.a: Owen Wright (AUS) x vencedor da 1.a bateria da Quinta Fase

2.a: Gabriel Medina (BRA) x vencedor da 2.a bateria

3.a: Josh Kerr (AUS) x vencedor da 3.a bateria

4.a: Kelly Slater (EUA) x vencedor da 4.a bateria

QUINTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com US$ 12.750 e 4.000 pontos:

1.a: Filipe Toledo (BRA) Italo Ferreira (BRA)

2.a: Kai Otton (AUS) x Bruno Santos (BRA)

3.a: Aritz Aranburu (ESP) x C. J. Hobgood (EUA)

4.a: Jeremy Flores (FRA) x Wiggolly Dantas (BRA)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: 1-Owen Wright (AUS)=14.84, 2-Filipe Toledo (BRA)=13.06, 3-Kai Otton (AUS)=12.70

2.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=17.64, 2-Bruno Santos (BRA)=17.10, 3-Italo Ferreira (BRA)=6.84

3.a: 1-Josh Kerr (AUS)=13.20, 2-Aritz Aranburu (ESP)=11.43, 3-Wiggolly Dantas (BRA)=6.40

4.a: 1-Kelly Slater (EUA)=16.60, 2-Jeremy Flores (FRA)=14.66, 3-C. J. Hobgood (EUA)=8.30

TERCEIRA FASE – Vitória=Quarta Fase / Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:

———–baterias que abriram a segunda-feira:

9.a: Josh Kerr (AUS) 15.80 x 13.67 Adrian Buchan (AUS)

10: Kelly Slater (EUA) 14.06 x 13.33 Sebastian Zietz (HAV)

11: Jeremy Flores (FRA) 18.87 x 14.60 Joel Parkinson (AUS)

12: C. J. Hobgood (EUA) 13.60 x 9.50 Julian Wilson (AUS)

———–resultados da segunda-feira passada:

1.a: Filipe Toledo (BRA) 16.97 x 12.50 Brett Simpson (EUA)

2.a: Kai Otton (AUS) 13.13 x 12.00 Bede Durbidge (AUS)

3.a: Owen Wright (AUS) 18.23 x 15.70 Dusty Payne (HAV)

4.a: Italo Ferreira (BRA) 16.10 x 9.83 Jadson André (BRA)

5.a: Gabriel Medina (BRA) 19.00 x 18.84 John John Florence (HAV)

6.a: Bruno Santos (BRA) 16.20 x 13.70 Adriano de Souza (BRA)

7.a: Aritz Aranburu (ESP) 15.17 x 6.67 Mick Fanning (AUS)

8.a: Wiggolly Dantas (BRA) 16.83 x 8.66 Matt Wilkinson (AUS)

Por: João Carvalho – WSL South America Media Manager

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags