Miguel Pupo esteve perto, mas perdeu a bateria por cair em boas ondas. Foto: Divulgação ASP

O cearense Heitor Alves e o catarinense Alejo Muniz conseguiram avançar para a terceira fase do Hurley Pro, sexta etapa do Circuito Mundial de Surf, que rola em Lower Trestles, na Califórnia, mas não foi uma tarefa fácil.

As baixas brazucas foram Jadson André e Miguel Pupo. As ondas estavam boas, com meio metro e series maiores, o primeiro brasileiro a entrar na água foi Jadson, que saiu atrás no placar, com o adversário, o aussie Julian Wilson saindo na frente com 8,00 pontos. O brasileiro conseguiu a virada com 7,60 e 6,67, a menos de cinco minutos do fim.

Julian não se deu por vencido e nos últimos segundos conseguiu uma virada e tanto, precisava de 6,27 e acertou dois cutbacks e um aéreo para somar 6,63 e mandar Jadson para casa logo na segunda fase.

Na bateria seguinte foi a vez de Heitor Alves entrar na água. O cearense parecia estar nervoso e cometeu vários erros, reagindo apenas nos minutos finais. A disputa estava sendo dominada pelo norte-americano Kolohe Andino, que fez 6,93 e 7,40.

O brasileiro precisava de 9,00 para virar a bateria e diminuiu a diferença com 5,50 e 8,83. Mostrando que é esperto, Heitor, que estava sem prioridade, fingiu não querer uma boa onda que apareceu, fazendo com o que o americano também não fosse para a onda, o cearense então remou rapidamente para a direita, deu um rodeo clown perfeito que levou o público ao delírio e arrancou 9,00 pontos dos juízes e uma virada nos últimos minutos.

Miguel Pupo entrou em cena na nona bateria do dia, o paulista caiu nas melhores ondas e perdeu uma boa oportunidade de avançar para a terceira fase, o adversário, o sul-africano Travis Logie, aproveitou o tropeço do brasileiro para arrancar 7,50 dos juízes.

A liderança ainda era de Miguel, com 6,50 e 5,27 no somatório, mas Travis o seguia de perto, precisando apenas de 4,27 para a virada, que veio com um floater, que rendeu 5,43 e a vaga na terceira fase.

No penúltimo duelo, Alejo Muniz e o havaiano Fred Patacchia travaram uma disputa emocionante. Fred saiu na frente, com 7,67, mas Alejo virou pouco depois com um 8,50. Mais uma vez a virada veio em seguida, com fred fazendo 6,17 na mesma série e voltando à liderança.

O havaiano aumentou a vantagem com um 7,07 e deixou Alejo a 6,24 de uma nova virada. Sem perder as esperançar, Alejo mandou um 6,57, para a virada e depois ampliou o placar com 7,80, o que deixou o havaiano a 8,63 da vitória. Fred quase conseguiu a vira na última onda da bateria, tirando 8,23. Dessa vez a vitória era brasileira.

Aloha!

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags