WCT Trestles 2014 - Filipe Toledo Show

Filipe Toledo comandou o show de aéreos na terça-feira. Foto: Sean Rowland / ASP

Depois de quatro dias de espera, o WCT Trestles 2014 retornou com show dos brasileiros. Conhecido mundialmente como Brazilian Storm, os surfistas brasileiros da nova geração decolaram na Califórnia para se destacar na terça-feira.

Em ondas de 4-6 pés, o WCT Trestles 2014 recomeçou com Gabriel Medina vencendo o duelo brasileiro costra Raoni Monteiro. Depois, Jadson André fez o maior placar do evento – 17,50 pontos – e Filipe Toledo conquistou a maior nota do WCT Trestles 2014, um 9,83 em um aéreo “full rotation” de backside.

Partiram para o Round 3 do WCT Trestles 2014 os brasileiros Jadson André, Miguel Pupo, Gabriel Medina e Filipe Toledo, que se juntaram a Adriano de Souza, previamente classificado após vencer sua bateria no Round 1.

Jadson acabou eliminado na terceira fase do WCT Trestles 2014, mas Miguel Pupo já garantiu o Brasil no Round 4 do evento. Os demais brasileiros entram na água hoje para definir quem avança ao Round 4 do WCT Trestles 2014. Assista AO VIVO.

Antes de eliminar o surfista local de San Clemente, Kolohe Andino, no duelo que fechou a terça-feira de disputas do WCT Trestles 2014, Miguel Pupo só precisou surfar duas ondas contra Mitch Crews, já nos dez minutos finais da bateria para avançar de fase.

Miguel Pupo foi preciso com seu ataque de backside nas direitas, combinando batidas com arcos perfeitos nas ondas, sempre alongando as manobras em duas belas apresentações que renderam notas 8,17 e 8,77. Estes 16,94 pontos só não superaram os 17,50 do recorde de Jadson André.

Filipe Toledo teve Adam Melling como adversário no Round 2 do WCT Trestles 2014. O australiano começou forte a bateria com uma nota 9,17. Mas, Filipe Toledo tirou da manga um aéreo incrível “full rotation” de backside, aterrisou na parte crítica da onda e finalizou com uma batida fortíssima no lip da onda. Dois dos cinco juízes deram nota 10 e a média ficou 9,83, a maior de todo o campeonato.

Depois quase não entraram mais ondas boas, mas Filipe dá outro show em uma direita mandando um aéreo de frontsite entre várias manobras para abrir 6,77 pontos de vantagem. Adam Melling só pega sua segunda onda no minuto final e recebe nota 6,10, com a quarta classificação do Brasil para a terceira fase sendo confirmada por 15,93 a 15,40 pontos.

“Eu vi o (Adam) Melling começando bem a bateria, fazendo grandes curvas e conseguindo uma nota enorme (9,17) na sua primeira onda. Então eu já sabia que teria que fazer alguma coisa muito louca” – Filipe Toledo

Gabriel Medina abriu o dia de disputas do WCT Trestles 2014 em uma bateria brasileira contra Raoni Monteiro. Com poucas ondas e Medina um pouco travado, Raoni Monteiro saiu na frente na disputa. Aos poucos Gabriel Medina foi se soltando e garantiu a vitória nas esquerdas de Trestles.  Medina venceu pelo placar 13,83 a 9,94 pontos.

RECORDE DE PONTOS – Depois de Medina, o próximo brasileiro a competir na terça-feira foi o potiguar Jadson André, que bateu todos os recordes do WCT Trestles 2014 na vitória sobre o experiente Bede Durbidge. Em uma esquerda da série, ele já começa com uma batida muito forte no crítico da onda, encaixa mais três manobras muito boas com velocidade e arranca nota 9,0 dos juízes. Com ela, abriu 7,67 de vantagem sobre o australiano nos dez minutos finais da bateria. No sinal dos 5 minutos, Bede força Jadson entrar numa onda fraca para ganhar a prioridade de escolha. Ele fica sozinho no outside e pega uma boa direita que abre a parede para ele desferir uma série de quatro manobras bem executadas, mas a nota sai 6,77. Aí foi a vez do potiguar pegar uma direita e detonar a onda com sete batidas e rasgadas para ganhar 8,5 e fazer o maior placar de todo o evento, 17,50 pontos.

Jadson André ainda voltou a competir na abertura da terceira fase contra Michel Bourez, que já venceu duas etapas este ano, inclusive o Billabong Rio Pro no Rio de Janeiro. O taitiano pegou as melhores ondas nas poucas séries que entraram na bateria para vencer por 14,67 a 11,44 pontos a primeira vaga para a quarta fase do Hurley Pro Trestles. Jadson não teve chances para conseguir repetir a apresentação recorde da repescagem e terminou em 13.o lugar na Califórnia, marcando 1.750 pontos no ranking. Ele continua fora do grupo dos 22 que são mantidos na divisão de elite para o ano que vem, mas vai confirmando sua permanência entre os dez surfistas que se classificam pelo ranking do ASP Qualification Series.

Aloha!

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags