WCT Trestles 2015

Adriano de Souza ( Kirstin Scholtz – WSL)

Os brasileiros continuam dominando as direitas de Lowers Trestles durante o WCT Trestles 2015 e conquistaram metade das vagas para as quartas de final do Hurley Pro Trestles no sábado em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos.

Competindo em casa por morar com sua família perto desta praia, Filipe Toledo ganhou o primeiro confronto do dia e vai enfrentar o australiano Joel Parkinson na quarta de final do WCT Trestles 2015. Quem passar, pega nas semifinais o vencedor do duelo verde-amarelo entre o número 1 do ranking 2015, Adriano de Souza e Wiggolly Dantas.

Já o atual campeão mundial Gabriel Medina fecha as quartas de final com o norte-americano Nat Young, que barrou um dos concorrentes de Mineirinho na briga pela ponta do ranking da World Surf League na Califórnia, Owen Wright.

O sábado de disputas do WCT Trestles 2015 já começou com uma bateria 100% verde-amarela nos Estados Unidos e Filipe Toledo usou sua arma mortal mais uma vez para conquistar a primeira vaga direta para as quartas de final. Ninguém conseguiu bater os 17,93 pontos que Filipinho totalizou neste confronto eletrizante, com os três brasileiros surfando boas ondas em Lower Trestles. Filipe somou o 9,20 da sua melhor apresentação com o 8,73 da sua última onda e ainda descartou um 8,57. Miguel Pupo ficou segundo com 16,97 pontos somando notas 8,70 e 8,27 e jogando fora um 7,70. E Italo Ferreira chegou a 16,17 com 8,10 e 8,07 que trocou por um 7,83.

Na segunda bateria do dia, mais dois brasileiros entraram no mar e as séries já não estavam tão constantes. Adriano de Souza começou na frente, aproveitando ao máximo o que as ondas permitiam para tirar notas 5,33 e 6,50. Mineirinho também usou os aéreos para ganhar pontos e trocou o 5,83 que estava somando da sua terceira onda pelo 6,60 da última. Wiggolly Dantas só tinha um 4,77, mas surfou a melhor onda da bateria com seu ataque letal de backside para chegar perto da vitória com nota 8,23, mas o placar ficou em 13,10 a 13,00 pontos para Mineirinho. O australiano Joel Parkinson também só achou uma que rendeu 7,33 e terminou em último com 12,86 pontos.

WCT Trestles 2015

Filipe Toledo ( Kirstin Scholtz – WSL)

Os dois brasileiros que estão na briga pela lycra amarela do ranking na Califórnia venceram suas primeiras baterias do sábado e nem precisaram competir mais. Já os dois australianos perderam a primeira chance de classificação para as quartas de final e tiveram que disputar a quinta fase. O vice-líder, Mick Fanning, foi batido pelo também australiano Adrian Buchan em outra bateria de poucas ondas surfadas. Buchan deu mais sorte na escolha e conseguiu duas notas na casa dos 8 pontos para vencer por 16,36 pontos.

O campeão mundial Gabriel Medina também ganhou a última vaga direta para as quartas de final assim, mas ele foi ainda mais preciso e eficaz, porque só surfou as duas ondas que são computadas na bateria e valeram notas 8,33 e 8,57. O terceiro do ranking, Owen Wright, também fez bonito nas direitas de Trestles para tirar a maior nota da bateria, 9,10, mas precisava de um pouco mais e perdeu por meio ponto, 16,90 a 16,40. Kelly Slater completou este verdadeiro clássico da World Surf League em San Clemente, mas só achou uma onda e ficou em último com 8,37 pontos.

SEGUNDA CHANCE – Os quatro vencedores da quarta fase foram dispensados, mas os perdedores voltaram ao mar para tentar a segunda chance de classificação para as quartas de final. As condições variaram bastante durante o dia e nessa primeira bateria entraram mais ondas boas, principalmente para Joel Parkinson, que pegou três seguidas para totalizar 16,57 pontos com notas 8,27 e 8,30.

Miguel Pupo mostrou a potência do seu backside com uma série de manobras que valeram nota 8,90, mas faltou outra para somar e só chegou a 13,73 pontos. Mesmo com a derrota em nono lugar, Pupo retornou ao grupo dos 22 primeiros colocados no ranking que permanece na elite dos top-34 da World Surf League para o ano que vem. Agora, os sete integrantes da “seleção brasileira” do WCT estão se garantindo pelo ranking principal nesta reta final da temporada.

ESTREANTES DO BRASIL – Os dois que entraram na elite esse ano estão brilhando em suas primeiras temporadas no Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour e irão se enfrentar na disputa pela sexta vaga para as quartas de final do Hurley Pro Trestles. Ambos foram criados em direitas como as de Lower Trestles e pegaram boas ondas para mostrarem suas manobras de backside em mais uma bateria 100% brasileira de alto nível técnico nos Estados Unidos.

O paulista Wiggolly Dantas, que aprendeu a surfar nas direitas da Praia de Itamambuca, em Ubatuba, dominou o confronto desde o início com as notas 7,50 e 6,47 das suas primeiras ondas, que depois foram trocadas por 7,87 e 8,50. O potiguar Italo Ferreira, nascido nas direitas do Pontal de Baía Formosa, vem sendo o melhor estreante da temporada, mas Wiggolly pegou as melhores ondas da bateria para vencer por 16,37 a 13,67 pontos e seguir para enfrentar o líder Adriano de Souza nas quartas de final.

Depois, o australiano Mick Fanning ganhou um confronto de campeões mundiais com Kelly Slater, aumentando o seu placar a cada onda para chegar a 16,10 pontos com a nota 8,23 da última que surfou na bateria. Slater também conseguiu sua maior nota na última onda, mas o 8,57 recebido só foi suficiente para alcançar 14,90 pontos. Foi outra chance perdida para Slater entrar na briga direta por mais um título mundial, o 12.o da carreira mais vitoriosa da história do esporte.

Mas, os norte-americanos ainda têm um surfista para torcer no último dia do Hurley Pro Trestles, o californiano Nat Young, que tirou o australiano Owen Wright da disputa pela liderança do ranking na Califórnia. As primeiras ondas demoraram muito para entrar quando começou a bateria e Owen achou que tinha voltado ao início depois de dez minutos sem ninguém surfar. Só que a comissão técnica não anunciou isso e Nat Young conquistou a última vaga para as quartas de final por 12,17 pontos com a nota 8,00 da sua terceira e última onda. Owen Wright tinha surfado apenas uma de 6 pontos e reclamou bastante quando ouviu o sinal de fim da bateria, achando que ainda faltava no mínimo mais 10 minutos para terminar.

Ranking Mundial – Com a saída de Owen Wright, restaram apenas três surfistas para brigar pela lycra amarela de número 1 do ranking no Hurley Pro Trestles. A batalha entre Adriano de Souza e Mick Fanning continua fase a fase e o australiano tem que avançar uma a mais para ficar na frente. Filipe Toledo já passou a dividir o terceiro lugar no ranking com Owen Wright e precisa chegar na grande final para superar a pontuação que Mineirinho e Fanning garantiram com a passagem para as quartas de final.

No entanto, o líder na corrida do título mundial pode até ser definido numa decisão de título em Lower Trestles com Mick Fanning contra Adriano de Souza ou Filipe Toledo, já que os dois brasileiros se enfrentariam nas semifinais. Só que no caminho de Fanning na busca pela segunda vaga na final pode entrar Gabriel Medina, que também precisa da vitória na etapa norte-americana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour para encostar nos líderes do ranking e poder ainda tentar o bicampeonato mundial nas três etapas que vão fechar a temporada na França, Portugal e Havaí.

O Hurley Pro Trestles e o Swatch Women´s Pro estão sendo transmitidos ao vivo pelo www.wordsurfleague.com e o link também pode ser acessado clicando-se no banner do evento na capa da nova página da WSL South America –www.wslsouthamerica.com – que destaca a participação dos brasileiros na disputa do título mundial no WCT, com notícias também dos surfistas dos outros países da América do Sul nos circuitos da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, onde você pode acompanhar todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e a qualquer hora onde acontecer. As sanções da WSL são para os seguintes circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Pro Junior e Longboard. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York. A WSL também tem sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos na África, Ásia, Austrália, Europa, Havaí, América do Norte e América do Sul.

WCT Trestles 2015 – Quartas de Final

1.a: Filipe Toledo (BRA) x Joel Parkinson (AUS)

2.a: Adriano de Souza (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA)

3.a: Mick Fanning (AUS) x Adrian Buchan (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA) x Nat Young (EUA)

WCT Trestles 2015 – Round 5

1.a: Joel Parkinson (AUS) 16.57 x 13.73 Miguel Pupo (BRA)

2.a: Wiggolly Dantas (BRA) 16.37 x 13.67 Italo Ferreira (BRA)

3.a: Mick Fanning (AUS) 16.10  14.90 Kelly Slater (EUA)

4.a: Nat Young (EUA) 12.17 x 6.00 Owen Wright (AUS)

WCT Trestles 2015 – Round 4

1.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=17.93, 2-Miguel Pupo (BRA)=16.97, 3-Italo Ferreira (BRA)=16.17

2.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=13.10, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=13.00, 3-Joel Parkinson (AUS)=12.86

3.a: 1-Adrian Buchan (AUS)=16.36, 2-Mick Fanning (AUS)=14.44, 3-Nat Young (EUA)=14.37

4.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=16.90, 2-Owen Wright (AUS)=16.40, 3-Kelly Slater (EUA)=8.37

SEMIFINAIS DO SWATCH WOMEN´S PRO:

1.a: Bianca Buitendag (AFR) x Lakey Peterson (EUA)

2.a: Carissa Moore (HAV) x Dimity Stoyle (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos:

1.a: Bianca Buitendag (AFR) 15.50 x 15.43 Nikki Van Dijk (AUS)

2.a: Lakey Peterson (EUA) 16.76 x 15.26 Courtney Conlogue (EUA)

3.a: Carissa Moore (HAV) 15.10 x 14.86 Tyler Wright (AUS)

4.a: Dimity Stoyle (AUS) 15.50 x 14.16 Sally Fitzgibbons (AUS)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final e Derrota=9.o lugar com 3.300 pontos:

1.a: Nikki Van Dijk (AUS) 15.73 x 13.83 Sage Erickson (EUA)

2.a: Lakey Peterson (EUA) 17.37 x 11.84 Tatiana Weston-Webb (HAV)

3.a: Carissa Moore (HAV) 17.33 x 15.10 Johanne Defay (FRA)

4.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 17.93 x 14.20 Alessa Quizon (HAV)

TERCEIRA FASE – Vitória=Quartas de Final e 2.a e 3.a=Quarta Fase:

1.a: 1-Bianca Buitendag (AFR)=16.10, 2-Sage Erickson (EUA)=13.53, 3-Lakey Peterson (EUA)=12.60

2.a: 1-Courtney Conlogue (EUA)=17.27, 2-Tatiana Weston-Webb (HAV)=14.23, 3-Nikki Van Dijk (AUS)=11.87

3.a: 1-Tyler Wright (AUS)=18.80, 2-Carissa Moore (HAV)=17.47, 3-Alessa Quizon (HAV)=10.10

4.a: 1-Dimity Stoyle (AUS)=13.87, 2-Sally Fitzgibbons (AUS)=11.34, 3-Johanne Defay (FRA)=9.60

Aloha!

Por: João Carvalho – WSL South America Media Manager

Share on Facebook

Notícias Relacionadas

Tags